quarta-feira, 29 de julho de 2009

Maratona de São Paulo 2009


31 de maio de 2009
Adivinhe o que aconteceu na sexta-feira, 29 de maio de 2009.
O tempo mudou bruscamente, o sol se foi e o frio chegou, e junto com o sol a minha garganta também SUMIU, simples assim, desapareceu!!!
TPM novamente?
Provavelmente, mas muito ruim mesmo! Passei o sábado da véspera muito estragado, sem garganta e pensando seriamente em ficar dormindo na manhã gelada de domingo que estava por vir. Mesmo assim, com essa vontade louca de não ir, deixei tudo preparado e consegui dormir umas 02:30/03:00 da manhã. A única coisa que me alegrava nesse momento era que a largada seria às 09:00(coisa que todos odeiam e criticam) e eu teria mais tempo para analisar a questão Garganta/Clima/Maratona.
Domingão chegou, a garganta mais ou menos, o tempo frio com o sol querendo aparecer, acordei, café e fui encontrar com o meu irmão, mais um café, conferência de tudo, tudo certo, carona pra largada. Agora não tinha mais fuga, só se fosse no meio da corrida. Dinheiro pro busão no bolso... hahaha por garantia.
Na largada. foto: Elson
Ao chegar na Avenida Roberto Marinho, antiga "Bocas Espalhadas ou Águas Espraiadas", ao lado da ponte "Estilingão" encontramos vários amigos da Playteam e ficamos vendo o movimento pré prova, estavam distribuindo na largada o dilatador nasal, ou sei lá como chama, que deixei a promotora colocar no meu nariz e que eu não imaginava que ajudava tanto como me ajudou, estávamos conversando com o Elson, que tirou a foto acima, quando o locutor avisou que faltavam cinco minutos para a largada, nesse mesmo momento disparou o TIRO do canhão e a boiada saiu correndo loucamente, entramos no meio e fomos também.
Antes do km 25 foto: www.ativo.com
Até o km 25, tudo dentro do controle, ritmo próximo a 5 min/km, meu irmão estava na mesma pegada, porém quase não nos olhamos/falamos. Passada a marca do Km 25, a entrada de novo na USP (portão 2) a coisa começou a ficar chata, primeiro porque diminuiu o número de corredores(muitos estavam fazendo a prova de 25km) e depois porque a USP é o deserto, pra piorar os 7 km que são lá dentro, colocaram um sobe-desce totalmente desnecessário que é pra desanimar qualquer um mesmo, você naquela descidona olha para o lado e vê o povo sofrendo na subida que te espera e assim vai, é lá que começam as desistências ou as caminhadas, totalmente desanimador. Passei essa parte numa boa, dentro do ritmo esperado, mas já desanimando, pensando que faltavam 12 km, no melhor sonho ainda teria 1 hora de corrida.
Quando cheguei no km 31 na reta de saída da USP, já comecei a pensar no km 32 que teria o apoio do pessoal da Playteam, mas foi aí que tudo começou a dar errado, a ficar tudo apertado, incomodando, parei no km 32, comi umas laranjas, pensei muito em ficar por ali mesmo, fiz um pit stop para desapertar tudo(calção/tênis/cueca/meia) e voltei pra reta pensativo, com as primeiras cãimbras aparecendo, parar ou não parar? Ali também que o vento resolveu aparecer, chegou forte e geladinho geladinho, bem do jeito que me destrói. A vontade de abandonar ia crescendo, parei para alongar as panturrilhas e ao olhar para o lado, tive "A VISÃO", lá estavam "ELAS", as minhas salvadoras Rosângela(amiga corredora que está retornando as corridas) e sua irmã Dani(que eu tinha conhecido uma semana antes na corrida de 12,5km da corpore).
Nós tínhamos combinado "mais ou menos" de se encontrar na saída da USP para os últimos 10km, mas nada assim tão certo, por conta do tempo, do horário e tudo mais. Mas elas estavam lá e com elas fiz os 10km mais lentos da minha vida em corridas, no sobe e desce dos túneis da USP até o Ibirapuera, conversamos bastante, andamos muito, eu até tentava dar um trotinho para não sacanear elas que até queriam correr, mas não dava, era praticamente impossível e o vento gelado continuava me castigando. Fomos nessa pegada até o final, deu pra conversar bastante e ainda dar muitas risadas com os outros corredores que também estavam se acabando pra acabar a corrida, uma interação mais que necessária nessa hora. Obrigado MENINAS, Essa é para a ETERNIDADE! Vocês são Fantásticas!!!
Na reta final muito bem acompanhado(resgatado).
Chegamos ao parque do Ibirapuera, agora só faltava a reta final e lá fomos nós, ao chegar na frente da assembléia, a poucos metros da chegada na Obelisco vejo ELE, o meu pequeno Diego no colo da minha irmã e a patroa com a máquina fotográfica tentando registrar o momento. Sinceramente, foi muito EMOCIONANTE chegar para completar a maratona depois desses últimos caóticos 10km, e ver o pequenino lá na reta de chegada todo feliz em me ver passar correndo.
O pequeno futuro corredor DIEGO
Com certeza, na próxima vez que ELE estiver na reta final pegarei-o e ele cruzará a chegada comigo, só não fiz dessa vez porque não condições nem de me carregar e muito menos de pensar em o que quer que fosse, só queria terminar para poder estacionar em algum lugar, com direito a Guincho, de preferência.
Beijinhos para o DIEGO
Terminei o sofrimento em 04:26, meu irmão estava esperando na chegada a uns 30 minutos, bem descansado(rsrs), e fomos procurar nosso guincho. Não encontramos lá na chegada, foi quando lembrei que havia comentado que teria a tenda da Play no Obelisco, ele foi lá chamá-las porque eu não tinah a menor condição de ficar andando para onde quer que fosse, eu só queria parar e ficar quietinho com as pernas pro ar, de preferência depois de um ótimo banho e um almoço. E assim foi feito, eles voltaram e fomos embora com mais uma aventura no Curriculo. Lembro de ter dito que seria a última, mas agora até ressucitei esse blog para mais uma ainda esse ano como diz o nome.

Um comentário:

  1. Não foi feito nenhum comentário até agora.
    Fechar esta janela

    ResponderExcluir

Sua opinião é MUITO IMPORTANTE! Obrigado pela visita e VOLTE SEMPRE Aproveite!!! inscreva-se por email #aisim